Alunos das escolas estaduais de SP vão ter aulas por “app” durante o surto do coronavírus

O coronavírus causou mudanças sociais em todo o mundo e uma delas foi a suspensão das aulas nas escolas públicas e privadas. Pensando em minimizar os efeitos que o surto do vírus pode causar na educação, o governo de cada estado começou a pensar em possíveis soluções e o estado de São Paulo, anunciou a possibilidade de aulas onlines para algumas escolas. Veja mais a seguir:

Levou algum tempo até que o coronavírus se tornasse uma pandemia, cerca de 4 meses, e desde o anúncio, todos os setores sociais passaram a ser afetados desde a medicina até a educação.

No mês de março, o governo junto às instituições de ensino, concordaram em suspender as aulas tanto nas escolas públicas quanto nas escolas privadas. A princípio, a ideia era substituir as férias de julho pelo período de quarentena em março, mas de acordo com pesquisas, a medida poderá não ser suficiente para normalizar a situação escolar dos estudantes.

Por isso, o Governo de São Paulo anunciou a possibilidade dos alunos de algumas instituições começarem a ter aula em casa através de um aplicativo, para que o planejamento pedagógico não sofresse alterações mais drásticas.

Os alunos da rede pública já contam com um material online para complementar o ensino dentro das escolas, o Caderno no Aluno. Na atual situação educacional do país, o material será muito importante para auxiliar os alunos nas matérias escolares.

Além do Caderno do Aluno, no qual os estudantes podem praticar os conhecimentos adquiridos através das aulas onlines, também é possível verificar as respostas do caderno do aluno 2021 totalmente atualizadas.

Todas essas medidas vão entrar em vigor em breve com o intuito de não prejudicar os estudantes, assim como manter o pagamento de mensalidades para as escolas particulares, que prometem ser bastante afetadas pela situação do coronavírus.

As aulas onlines para os estudantes paulistas ainda não tem previsão de início ou término, e pode estar dependendo também de cada instituição de ensino que irá aderir ao modelo.

A expectativa é que a ação possa entrar em vigor rapidamente para que esses estudantes possam estar de acordo com os anos letivos e mais pessoas do sistema educacional possam voltar a atuar, mesmo à distância.

Os efeitos do coronavírus ainda não podem ser totalmente previstos tanto para a educação quanto para outros setores, mas é preciso começar a atuar com pequenas soluções pensando em um resultado melhor para os próximos meses.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *